Rezar e beber urina salvou freiras presas em um elevador de Roma por três dias

Blogs

ROMA -Duas freiras católicas romanas sobreviveram ao ficar presas em um elevador de Roma por três dias sufocantes, orando e bebendo sua própria urina, informou a imprensa italiana.

As duas freiras, da Irlanda e da Nova Zelândia, estavam sozinhas em uma residência de quatro andares para freiras perto do Vaticano na tarde da sexta-feira passada quando entraram no elevador, informou o jornal La Repubblica de Roma na segunda-feira. Eles pegaram o elevador e, em seguida, uma falha de energia fez com que ele parasse - e ficasse preso - entre os andares, relatou o jornal.

As freiras, que segundo a imprensa italiana têm 58 e 68 anos, deixaram seus celulares nos quartos e, por isso, não puderam pedir ajuda. O único item que tinham com eles eram as contas do rosário.

As temperaturas estavam sufocantes e a umidade alta na capital italiana no último fim de semana - um calor do início do verão.

Nós oramos? perguntou um, informou a imprensa italiana. Certamente. É assim que sobrevivemos.

Uma faxineira que os conhecia alertou a polícia na segunda-feira de manhã quando ninguém atendeu a campainha do prédio.

A polícia vasculhou o prédio depois de conseguir uma chave de um convento próximo, finalmente libertando as freiras do elevador depois de ouvi-las gritar: Socorro, estamos aqui.

As autoridades rapidamente levaram as freiras para um hospital próximo, onde foram diagnosticadas com desidratação grave. Eles foram liberados, no entanto, após serem alimentados com soro fisiológico.

Para não perder a consciência, bebiam a própria urina, disse o médico que os tratou pelo La Repubblica.

É um milagre que eles ainda estivessem conscientes quando foram resgatados.

Consulte Mais informação:

A cobertura de hoje dos correspondentes do Post em todo o mundo